Buscar
  • Insight

O Delator das Fake News

Atualizado: Out 14


A pandemia causada pela gripe chinesa vitimou mais um personagem histórico ilustre: o tenente-general romeno Ion Mihai Pacepa (1928-2021), que pediu asilo político ao Ocidente ao final da década de 1970, quando era o chefe da Polícia Secreta da Romênia.

As hoje populares Fake News foram denunciadas por Pacepa há quase meio século: uma insidiosa ferramenta de Inteligência do bloco soviético entranhada na sociedade ocidental. Seu livro Desinformação: Ex-chefe de Espionagem Revela Estratégias Secretas Para Solapar a Liberdade, Atacar a Religião e Promover o Terrorismo , lançado no Brasil apenas em 2015, releva os laços entre Moscou e movimentos aparentemente espontâneos, como o da Teologia da Libertação. “O movimento nasceu na KGB e teve um nome inventado pela KGB: Teologia da Libertação”, disse ele (link).

O lamentável desaparecimento de Pacepa nos remete aos seus alertas que chegaram a ouvidos surdos no Ocidente. A Desinformação, antes promovida pelo bloco soviético, agora origina-se em vários dos grandes veículos de mídia e em instituições de ensino outrora respeitadas.

Ainda há tempo para se derrotar a Desinformação e seus agentes no Ocidente — mas não muito.